Categorias
Roedores

Tudo sobre chinchilas ? 10 pontos 5* ?

eu queria criar 2 porquinhas e uma chinchila , pode criar junto ?

e tambem queria saber tudo sobre chinchilas,elas são doceis ?

5* e 10 pontos melhor resposta

7 respostas em “Tudo sobre chinchilas ? 10 pontos 5* ?”

Campanha “Ganhei 2 pontos por não responder nada!”
……..|¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨…?
……..|……….2 Pontos …..|||”|””\__
……..|__________________|||_|___|)< ........!(@)'(@)""""**!(@)(@)****!(@) JUNTE-SE A NÓS, NESSA CAMPANHA TÃO NOBRE. E VENHA GANHAR SEUS 2 PONTINHOS

Chinchila é o nome genérico dos mamíferos roedores da família Chinchillidae, nativa dos Andes da América do Sul. A pelagem da chinchila é cerca de 30 vezes mais suave que o cabelo humano e muito densa, com 20,000 pêlos por centímetro quadrado. Esta densidade capilar impede, por exemplo, que estes animais sejam infestados por pulgas que não conseguem sobreviver na sua pelagem. Por isto, o seu pêlo não pode ser molhado. Elas próprias tomam banho, de areia.
São animais muito ativos e precisam de fazer exercício regularmente. Como também gostam de explorar, observar e ouvir sons, deve ser solta, em casa ou num sítio fechado.
Também são muito saciáveis e por isso não devem ter uma vida solitária.
As chinchilas foram descobertas no século XVI e desde logo caçadas por causa da pele. No início do século XX eram já bastante raras e em 1923 o biólogo Mathias Chapman trouxe os últimos 11 exemplares para os EUA. A descendência destes casais salvou a chinchila da extinção e desde os anos 60 que é um animal de estimação relativamente popular. História

As chinchilas são roedores oriundos da Cordilheira dos Andes, no Chile. O seu nome significa literalmente “Chincha Pequena”. Chincha é o nome dos nativos dos Andes que utilizavam o pêlo deste animal para fabricar roupas, na altura em que os conquistadores espanhóis chegaram a esta região Séculos atrás, podia encontrar-se chinchilas em partes da Argentina, Bolívia, Chile e Perú. Hoje, as chinchilas selvagens são raras, e o seu território está restringido às montanhas da cordilheira dos Andes, no Chile.
O primeiro registro escrito deste animal surge no século XVI, quando um padre espanhol descreve as chinchilas no seu livro sobre os animais da cordilheira dos Andes.
O ambiente desértico em que habitam é bastante rigoroso. As planícies dos Andes são quentes de dia e muito frias de noite.
As chinchilas vivem entre 3 mil a 5 mil metros de altura e abrigam-se em túneis que escavam ou em buracos de rochas espalhados pelas montanhas. Alimentam-se de plantas, sementes e mais raramente de pequenos insetos.
Assim que as Chinchilas se tornaram conhecidas no mundo Ocidental, a cáptura por causa do seu pêlo intensificou-se. No século XVIII e XIX, a procura atingiu picos alarmantes que levaram à extinção de uma espécie, Chinchilla Real, e à escassez das outras duas restantes, Chinchilla Lanigera e Chinchilla Brevicaudata. A reprodução de Chinchilas em cativeiro foi problemática.
Os primeiros animais capturados para criação eram bastante nervosos e necessitavam de um ambiente bastante tranqüilo para poderem viver. Só em 1895 se conseguiu uma produção com sucesso que foi arrasada no ano seguinte por uma epidemia. Em 1918, Mathias Chapman, um engenheiro de minas norte-americano, entrou em contacto pela primeira vez com chinchilas. Gostou do animal e lançou-se na difícil tarefa de tentar criá-las em cativeiro. Mas primeiro tinha de as capturar no seu ambiente natural.
Devido à escassez de exemplares, o governo chileno mostrou-se reticente quando à captura, mas acabou por ceder devido à forte pressão de Chapman. Este engenheiro de minas demorou três anos a capturar onze chinchilas, das quais apenas três eram fêmeas, e teve de subir a mais de 3500 metros para o fazer.
Na volta, preferiu demorar um ano a descer a montanha para que as Chinchilas pudessem aclimatizar-se. Este foi o início das Chinchilas em cativeiro. A produção deste animal para o comércio de peles só se iniciou por volta de 1920. Hoje em dia, o comércio de pele de chinchila não depende dos exemplares selvagens. Existem quintas de criação onde os animais são criados especificamente com esse fim.
No entanto, para fabricar um casaco de peles de chinchila, é necessário ceifar cerca de 40 a 50 vidas de chinchilas.
Mas só por volta de 1960 é que as chinchilas começaram a ganhar popularidade como animais de estimação. As chinchilas são animais protegidos, considerados vulneráveis no estado selvagem…

Aparência
As chinchilas são roedores que pesam entre 500 e 800 gr em adultos, sendo maiores do que os porquinhos-da-índia, mas mais pequenos do que os coelhos. As fêmeas são maiores do que os machos.
As orelhas são compridas e arredondadas nas pontas. A cauda mede 8 a 15 cm e apresenta uma pelagem espetada, geralmente com pêlo mais curto do que no resto do corpo. As patas traseiras são mais compridas do que as dianteiras, permitindo-lhes dar uma maior impulsão nos saltos.
O pêlo é sem dúvida uma das atrações na chinchila. A densidade da pelagem é de tal ordem, que chegam a crescer cerca de 60 fios por folículo.
A cor original das chinchilas é acinzentada. Os fios são mais claros junto ao corpo e têm a ponta escura. Esta cor funciona como camuflagem nas rochas das montanhas, tornando difícil para os predadores identificá-las. Contudo, existem já outras cores disponíveis: bege, preto, violeta, safira, branco, entre outros.

Alimentação
Este roedor come bastante pouco, cerca de 30 gr diárias, não sendo por isso um animal dispendioso. A dieta da chinchila deve ser rica em fibras. Feno e alfafa devem estar sempre disponíveis.
Deve recorrer a rações especiais para chinchilas à venda nas lojas de animais de estimação e sempre que possível providenciar um suplemento vitamínico (A, D e E).
A água deve estar sempre limpa, fresca e disponível para o animal. Os restos de alimentos devem ser retirados diariamente.
As chinchilas podem ser presenteadas com guloseimas, desde que seja com moderação. Uvas ou pedaços de maçã são boas opções.

Temperamento
As chinchilas são animais nocturnos. Na natureza preferem sair à noite, quando a temperatura já arrefeceu. Em cativeiro, as chinchilas podem permanecer acordadas durante o dia, caso sejam estimuladas. São bastantes simpáticas e dóceis. Uma vez que é bastante tranquila e nocturna, o dono deve proporcionar-lhe um ambiente calmo, sossegado e em que seja possível a sua actividade nocturna.

Higiene
A chinchilas são fáceis de manter. O seu pêlo é demasiado denso para poder apanhar parasitas externos. As pulgas e carraças ficam presas entre os pêlos e não conseguem chegar à pele, morrendo a meio do caminho.
Devido a estas características não se deve molhar o pêlo das chinchilas. O “banho” é feito com recurso a uma areia especial, carbonato de cálcio de modo a desengordorar, refrescar e dar brilho ao pêlo. A chinchila limpa o próprio pêlo esfregando-se nele. Para isso deve colocar cerca de 5 cm da areia especial num recipiente. O banho deve ser diário, preferencialmente de noite com a duração máxima de 30 minutos. Antes de lhe dar banho pela primeira vez aconselhe-se junto do veterinário ou de uma loja da especialidade.
As chinchilas renovam o pêlo de três em três meses, por isso é natural que encontre bolas de pêlo nessas alturas na gaiola.
As chinchilas têm um odor menos forte do que o dos ratos. Se a jaula for limpa semanalmente, o odor das chinchilas passa despercebido. O uso de substratos de qualidade ajuda a absorver o cheiro.
O bebedouro deve ser limpo diariamente e tanto a gaiola como o comedouro, devem ser limpos uma vez por semana com água quente e um antisséptico (secando de seguida).

Relação com dono
A Chinchila é um animal sociável e inteligente. Têm uma boa memória. No estado selvagem aplicam-na para memorizar os trilhos que percorrem diariamente. Em cativeiro, reconhecem o dono e gostam de manter uma rotina.
As chinchilas são animais tímidos e é necessário algum tempo para ganhar a sua confiança. Quando confiam no dono, gostam de ser manuseadas e acariciadas. Como têm uma memória longa, se alguma vez se sentirem assustadas com uma atitude do dono, permanecem receosas durante algum tempo. As chinchilas não devem ser manuseadas por crianças sem maturidade suficiente para perceber o grau de sensibilidade destes animais.

Doenças
Olhos vidrados e com lágrima, fezes moles, nariz seco, falta de apetite, letargia ou qualquer outra alteração de comportamento são geralmente indicadores de que a chinchila poderá estar doente.

Vc não pode criar junto, as alimentações são bem diferentes, uma não pode comer a comida da outra, porquinhos precisam de alimento fresco para as chinchilas ele é proibido, elas só podem comer alfafa desidratada coisas frescas fermentam em seu estômago.

Chinchilas não são animais de colo essas coisas, elas vem na porta da gaiola para vc brincar essas coisas. São fáceis de cuidar, precisam de ração, suplemento, alfafa e frutas secas, tomam banho seco, e são muito sensíveis ao calor. Bem cuidadas vivem muitos anos. Precisam de uma gaiola de tres andares pois gostam de ficar pulando e uma toquinha de madeira ou metal. A gaiola deve ter a bandeja forrada com serragem ou areia de gato, precisa trocar toda a semana.

Histórico:

Chinchila é um animal vegetariano, originário da América do Sul, precisamente das altas planícies dos Andes.

Neste habitat primitivo, via de regra desértico, alimentava-se apenas de ervas (gramídeos) cascas, folhas de arbustos.

Normalmente fazia muito calor durante o dia, e muito frio no período noturno, sendo de hábitos noturnos, ela se abrigava durante o dia em tocas e durante a noite, saia para comer.

A primeira criação de chinchilas em cativeiro foi iniciada na Califórnia pelo engenheiro americano Mathias Chapman. Em suas explorações, deparou com este animal e ficou impressionado com a delicadeza e suavidade de sua pele, levou então alguns exemplares aos Estados Unidos e assim iniciou sua criação.

Características:

As Chinchilas são animais muito receptivos, ao acostumar com seu tratador, elas criam um vínculo, sabendo identificá-lo de um estranho. Elas possuem um tamanho de 20 a 26 cm de comprimento quando adultas, possuem longa e bonita cauda chegando muitas vezes a metade do seu corpo. Atinge aproximadamente 18 a 20 anos.

A Chinchila pode viver em qualquer ambiente, mesmo em casa pois é extremamente limpa e não desprende odores. Devido a densidade de seus pêlos nela não se cria nenhuma espécies de parasita, comuns em outros animais domésticos. É um animal pacífico e mimoso, adaptando-se facilmente ao ambiente.

A Chinchila pode ser criada em qualquer local desde que o mesmo seja seco, bem ventilado e abrigado do sol.

Tendo a Chinchila como habitat natural os Andes onde suportava grandes variações de temperatura, transformou-se em um animal muito resistente.

Alimentação:

A alimentação deste animal é basicamente vegetal. Compondo-se de alfafa seca e da ração balanceada (peletizada), devendo ser administrada diariamente: 15g de ração – 15g de alfafa e água a vontade.

Os animais não devem ser superalimentados, são muito regrados em sua alimentação e não comem em demasia.

Eventualmente pode ser fornecido aos animais alguma fruta como maçã, pêra, uva passa, etc.

Conserve a ração e alfafa em locais secos e ventilados. Obs.: nunca forneça alimentação deteriorada.

Deve-se colocar um pedaço de casca de coco (seco) na gaiola para que o animal brinque e desgaste a dentição.

Reprodução:

A Chinchila é um animal mamífero, e sua reprodução é sexuada. Aos 7 ou 8 meses é considerada adulta para a reprodução, podendo assim acasalar.

A fêmea tem seu período de ovulação a cada 28 dias permanecendo neste período de 3 a 5 dias. O cruzamento ocorre quase sempre no período noturno.

Uma vez realizada a cópula a fêmea expele um tampão ceroso chamado stopper, que poderá ser encontrado no piso da gaiola e indica que houve acasalamento.

O período de gestação é de 111 dias, podendo assim ter 2 ou 3 partos em um mesmo ano.

Saúde:

A Chinchila é muito rústica e resistente as doenças comuns a outro animais de cativeiro. Não há registros até agora de doenças ou epidemias em chinchilas em todo o mundo. Por este motivo, não é necessário vaciná-la.

Nas importações não há quarentena e também não há registros de doenças transmissíveis ao homem ou vice e versa.

Observações Úteis:

1. Os animais não deverão ser superalimentados;

2. Os alimentos deverão estar sempre secos;

3. O local escolhido para a gaiola deve ser sempre muito bem ventilado;

4. Mantenha as instalações em perfeitas condições de higiene;

5. O banho (pó) deve ser fornecido aos animais 1 ou 2 vezes ao dia.

Como cuidar dela:

– Brinque com sua Chinchila à tarde ou à noite;

– Durante o dia ela gosta de dormir e descansar;

– Não deixe que tome sol, vento ou chuva;

– Água, troque diariamente e sempre filtrada;

– Não leve o animal no carro, que geralmente é muito quente;

– Um bom local para a gaiola, seria pendurá-la na parede, longe do sol e do vento;

– Deixe sempre um pedaço de madeira tipo eucalipto cortado em rodelas para gastar os dentes;

– Alimente só com a quantidade e o alimento certos;

– Ração uma colher de sopa por dia;

– Alfafa: pode deixar sempre no comedouro;

– Pó de mármore: 5 (cinco) colheres de sopa diárias dentro da banheira;

– Uva Passa: 2 uvas por dia para regular o intestino;

– Trate-a com muito carinho que ela pode viver até 10 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *