Categorias
Cavalos

^^ !! Seabiscuit !! ^^?

Galera… o que vcs podem me contar sobre o filme seabiscuit (alma de herói) ??
O que sentiram ?? O que entenderam ?? Se gostaram… pq ??

BeijooOOS !! Amo a galera do yahoo !! =* (respondaam !! sinceridade)

Uma resposta em “^^ !! Seabiscuit !! ^^?”

eabiscuit: Uma Lenda Americana” é o conto de uma era de Depressão nas corridas de cavalos que capturou os corações e a imaginação de um país que estava sedento de esperança. A escritora Laura Hillenbrand conseguiu com muito sucesso transformar uma história de não-ficção em um conto que se lê como um romance. As três personagens humanas centrais enfrentaram sua própria cota de desafios. Charles Howard, o pioneiro dos automóveis que introduziu o carro no Oeste, depois de deixar a costa leste em busca de seus sonhos, perdeu tragicamente seu filho num golpe de ironia – um acidente de carro. O “calado” Tom Smith foi uma relíquia do cenário pré-automóvel. Ele tinha uma habilidade natural de se relacionar com cavalos. Na verdade, ele talvez teve melhores relacionamentos com cavalos do que com a maioria das pessoas porque ele raramente falava. Johnny “Vermelho” Pollard foi forçado a crescer rapidamente depois de ser abandonado pela família. Ele se apaixonou pelo mundo das corridas de cavalos, mas teve que suportar alguns acidentes bem angustiantes e terminou cego de um olho. As três vidas se cruzaram quando Smith descobriu Seabiscuit, um cavalo com um pedigree impressionante, mas com uma carreira sem expressão na conquista de corridas. Smith viu algo em Biscuit que ninguém mais vira até aquele ponto. Howard tinha contratado Smith para ser seu treinador e para cuidar de uma barganha de corrida de cavalo com talento escondido. Pollard criou um vínculo imediato com o Biscuit quando lhe ofereceu uma pedra de açúcar. Era o início de uma parceria de corridas que estouraria a competição e conquistaria fãs apaixonados por todo o país. A tão esperada disputa de corrida entre Seabiscuit e War Admiral é de tirar o fôlego, e o retorno triunfante de Pollard para ganhar em Santa Ana, depois de ter ficado fora por um terrível acidente, foi demais. O livro detalha mais sobre o lado sombrio das corridas do que o filme, ao descrever os métodos que os jóqueis usavam para diminuir seu peso. A vida de um jóquei naquele tempo era muito sofrida, e não era difícil se ouvir de um jóquei que cometeu suicídio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *