Categorias
Répteis

Quais são as espécies de cobras autorizadas em Portugal?

2 respostas em “Quais são as espécies de cobras autorizadas em Portugal?”

Blanus cinereus Cobra cega Frequente na zona sul do país, assemelha-se superficialmente a uma minhoca, apresentando olhos atrofiados visíveis como pequenos pontos negros sob a pele. Tem hábitos subterrâneos, escavando galerias, onde captura os insectos e aracnídeos de que se alimenta. P
Natrix natrix astreptophora Cobra de água de colar De hábitos aquáticos, embora menos acentuados que os da cobra de água viperina, ocorre nos mesmos habitats que esta mas é bastante mais rara. Distingue-se dela pela coloração e pelo número de placas pós-oculares. É activa essencialmente de dia. Alimenta-se de anfíbios e peixes, podendo também incluir micromamíferos, aves e insectos. P
Natrix maura Cobra de água viperina Uma das cobras mais comuns em Portugal, caracteriza-se pelos seus hábitos aquáticos, sendo uma excelente nadadora. É activa tanto de dia como de noite. Alimenta-se sobretudo de anfíbios e peixes, embora também ingira anelídeos e artrópodes. P
Coronella girondica Cobra bordalesa Relativamente comum em toda a Península Ibérica, é uma cobra pouco agressiva, ao contrário da cobra lisa austríaca com a qual se assemelha. Distingue-se desta última pela forma da placa rostral. Tem actividade nocturna e crepuscular, desde a Primavera até ao princípio do Inverno. Alimenta-se essencialmente de outros répteis, principalmente pequenos lagartos. P
Macroprotodon cucullatus Cobra de capuz É uma das cobras mais raras e menos conhecidas da Península Ibérica. Produz um veneno neurotóxico mas dada a posição recuada das presas nas maxilas não é, em condições normais, perigosa para o Homem. Alimenta-se de micromamíferos e pequenos lagartos, muitos das espécies subterrâneas, pelo que se admite que seja de hábitos fossadores. IC
Elaphe scalaris Cobra de escada ou cobra riscada ou riscadinha Comum em vários habitats, principalmente os semiáridos. No sul é activa todo o ano, é essencialmente diurna. Considerada relativamente agressiva quando perturbada, tem excelentes capacidades trepadoras. Alimenta-se sobretudo de micromamíferos e outros répteis, complementados com aves e artrópodes. P
Coluber hippocrepis Cobra de ferradura Bastante comum em Portugal, ocupa grande variedade de habitats, sendo frequente em zonas urbanas. É boa trepadora e tem actividade essencialmente diurna. Alimenta-se essencialmente de micromamíferos e lagartos, bem como pequenas aves. P
Chalcides bedriagai Cobra de pernas pentadáctila Espécie endémica da Península Ibérica, trata-se de um lagarto com corpo cilíndrico e alongado e de membros reduzidos com 5 dedos rudimentares, o que se relaciona com os seus hábitos subterrâneos. Alimenta-se de insectos, aracnídeos e gastrópodes. P
Chalcides striatus Cobra de pernas tridáctila Trata-se de um lagarto de corpo cilíndrico e muito alongado, com membros reduzidos e com 3 dedos rudimentares. É um animal muito ágil e de hábitos diurnos P
Coronella austriaca Cobra lisa austríaca Rara em Portugal, esta cobra prefere as regiões montanhosas do norte e centro do país. Relativamente agressiva quando molestada, é activa tanto de dia como de noite. Alimenta-se de micromamíferos, lagartos e outras cobras. P
Malpolon monspessulanus Cobra rateira É a cobra de maiores dimensões da Península Ibérica e mesmo da Europa, atingindo os 2 metros. Muito comum em Portugal, habita grande variedade de habitats. Produz um forte veneno neurotóxico mas, tal como a cobra de capuz não é, em condições normais, perigosa para o Homem devido à posição muito recuada das presas. Alimenta-se de micromamíferos, lagartos, aves, artrópodes e outras cobras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *