Categorias
Aviação

O QUE SE FAZ PARA SER AEROMOÇA OU PILOTO?

hj em dia se contrata piloto mulher? o que fzer para ser aeromoça ou piloto de aviao? quais os cursos, graduação que eles pedem? quantas linguas? o salário é bom?

5 respostas em “O QUE SE FAZ PARA SER AEROMOÇA OU PILOTO?”

Para ser Piloto você deve fazer o curso de Piloto Privado custa cerca de 10 mil mais o Piloto comercial ai sim vc começa a trabalhar como piloto mais ainda não em linhas aeeas grandes como gol e tam por exemplo .
para ser contratado por companhias aereas você deve ter ao menos umas 2000 horas de voo e o ingles fluente.
para comissária você deve fazer o curso de comissária que deve sair em torno de 2 mil reais mais atenção como piloto você trabalha ate os 65 anos e quando chegar no auge de sua carreira você ganhara em torno de 20 mil por mes podendo chegar a mais de 30 mil ja como comissária acredito que o salario gire em torno de 5 mil e você não trabalha com mais de 40 anos .
existem poucas mais existem mulheres no Comando de Aeronaves de grande porte afinal não tem que fazer baliza rsrs .
se for começar o curso pra piloto avisa que eu tenho que antecipar o meu rsrs vão preferir uma mulher que é mais cuidadosa do que um homem com as mesmas horas de voo rsrs

Quem quiser ficar no comando de uma aeronave vai receber um salário melhor, mas vai precisar investir muito mais para chegar à cabine de controle. O coordenador dos cursos teóricos da Aerocon, Anderson Ramalho, explica que, em primeiro lugar, é necessário passar pelo curso de piloto privado, que dura cerca de quatro meses e custa por volta de R$ 800. Para tirar o brevê, o estudante deve completar pelo menos 35 horas de vôo. E é aí que a formação aperta mais o bolso. Cada hora custa R$ 235, por causa do alto custo de manutenção e operação da aeronave. No total, o aspirante a piloto vai gastar quase R$ 9 mil. Além disso, é preciso aprender a falar inglês fluentemente.

Só que não é com um brevê de piloto privado que ele pode concorrer a vagas em empresas de aviação comercial. É permitido apenas voar em aviões particulares. Para entrar no mercado de trabalho é preciso fazer outro curso – que também custa cerca de R$ 800 e dura mais quatro meses – e completar mais horas de vôo. Muito mais. Para tirar o registro de piloto comercial são exigidas nada menos do que 115 horas no manche. Multiplicando pelo custo, chega-se à cifra de R$ 27 mil. “Parece bastante, mas o gasto mensal pode ser menos do que muita faculdade”, diz o diretor de ensino do Aeroclube do Paraná, Carlos Lobo. A escola costuma fazer promoções para os pilotos preencherem a cota.

Muito bem. Com 150 horas de vôo já dá para bater na porta das companhias aéreas. Quer dizer, das pequenas companhias. “Você colocaria uma máquina de US$ 20 milhões na mão de um rapaz que acabou de sair da escola?”, questiona Lobo. Por isso, as grandes empresas costumam exigir mais de 500 horas de vôo para o cargo de co-piloto. O jeito é procurar uma empresa de táxi aéreo ou o curso de instrutor de vôo, para conseguir mais 21 horas e começar a acumulá-las enquanto se dá aulas para novos alunos. “O pessoal costuma ficar uns oito meses ou um ano na escola até chegar a umas 900 horas”, diz Ramalho.

Foi o que fez o piloto Leonardo Rensro, de 21 anos, que trabalha há nove meses na TAM Táxi Aéreo. “Comecei com 18 anos e levei um ano e dois meses no total para concluir o curso. Depois fiquei na Aerocon como instrutor. As empresas estão pedindo de 600 a 700 horas de vôo, mas a TAM baixou para 500 horas agora”, diz. Segundo ele, o curso é difícil e exige muito estudo, mas vale pelo retorno. “Cada mês a profissão fica mais valorizada. O salário de piloto varia muito. Começa entre R$ 4,5 mil e R$ 8 mil, mas tem gente que ganha mais de R$ 15 mil e até R$ 20 mil.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *