Categorias
Cães

O que faz um cão ser ”bravo”?

Muita gente diz que se os pais do filhote são bravos, ele nascerá bravo.Dizem que a raça é um fator Muito importante e que dobermans e Pit Bulls(dentre outras raça) sempre serão bravos, por mais que tenham boa criação.

Eu discordo plenamente, nem tudo é genética, mas tudo é criação.A raça influencia(?!), Claro! Mas muito pouco.

O que acontece é que muitas pessoas não maltratam seus cães, porém muitos não praticam exercícios físicos suficiente para drenar toda a energia do animal, e a maioria não impõe regra nem limites.

Quando um cão não tem regras e limites se torna dominante, o que ocasiona em braveza, e quando não tem exercício fica frustrado, o que adiciona muito na sua braveza.Por sua vez se o cão tem regras mas não exercícios ele se torna destrutivo e sai mordendo tudo, roupas, móveis, parede…

Por mais que o dono aja de bom coração ele pode esta fazendo algo errado, cães devem ser tratados com psicologia canina, não humana.

Então você diz: Então por que não vemos raças ‘mansas’ nos noticiários?

Simples, porque a mídia não quer.
Quantos acidentes de carro ocorrem por dia no Brasil?Muito. E quantos passam na TV, poucos.
Quantos acidentes de avião ocorrem por mês no mundo?Poucos.E quantos passam, muitos.

Ou seja a mídia não é dona da verdade, apenas passa o que va lhe dar audiência.Ou você acha que um poodlle agressivo daria ipobe?

Assim como a mídia pode construir uma imagem boa ou ruim de um humano, ela também pode fazer isso com uma raça.

————-
Fontes:
Cesar Millan

————————

Gostaria de saber de vocês, O que faz um cão ser bravo? a gegenética? criação? raça? o dono? o que?

. . . . . . . . . . .Desde já
. . . . . . . . . . . . .Agradeço.
Italo, se você der apenas amor o cão se tornará bravo, primeiro exercício, depois disciplina e então afeição.
Essa coisa de carinho é mais para o dono que para o animal, os cães apenas de estarem próximos ao dono já se sentem feliz, claro que não pode faltar carinho, mas não deve ser apenas carinho.
Do contrario o cão te verá como um seguidor que da comida e amor, e não como um líder que lhe da comida, exercício(coisa que amam mais que dizer eu te amo), regras, limites, limitações e carinho, assim respeitaram o dono, não ficaram bravos e serão obedientes.

—————-
Mig770 , sues argumentos são bons, mas quando digo que genética não é tudo não estou dizendo que não influencia, estou dizendo que a criação influencia muito mais do que a genética.Que raças poderosas tem tendência a serem agressivas é verdade, mas se o dono souber como redirecionar isso para esportes e exercícios sempre com liderança, estas raças serão mais mansas que todas.

Quando dizemos que preferimos o pit bull, estamos dizendo que são cães com muita energia, força, lealdade e lindos.Gostamos do padrão físico da raça, e é uma raça leal e companheira, que com a criação destaca este seu ponto, assim como uma má criação destacaria o ponto agressivo, dominante.

Labradores não são usados para rinhas pois são cães mais fracos que os outros, e rottiweiler também não é usado pois o ”costume” é pit bulls.Como vemos em filmes e series, nos estados unidos muitas escolas e bairros são exclusivos de uma ”raça”, não que um branco não possa estudar numa ‘escola de negros’ , mas não é costu

9 respostas em “O que faz um cão ser ”bravo”?”

Os xingos, os gritos e os puxões fazem um cão não adestrado ficar bravo fácilmente, pela pesquisa de Meeath Moraes, um cão intende a fala dos donos, e as vezes obedece, mas para obedecer sempre, dê um petisco pra ele, fale que ele é a melhor coisa de sua vida, passe a mão nele e diga: Eu te Amo. Oque está escrito no boletim de pesquisas de Meeath Moraes, á pequenos e minúsculos orgãos no cérebro de um cachorro, que fazem assim ele intender oque o dono fala, mas estes orgãos também tem uma serta maneira de salvar aquela palavra como: Eu Te Amo, e quando o dono fala coisas do tipo até então ele será mais feliz a cada dia.

Deixar o cão solto numa área proporcional ao seu tamanho.
Cão que vive preso em corrente, em espaços pequenos ou sem ver a rua tende a ficar neurótico, estressado, atrofiado e nervoso (pode morder até o próprio dono). Treinamento de Defesa / Ataque

Evitar deixar que as pessoas estranhas passem a mão agradem seu cão desde pequeno. Se isso acontecer ele vai achar que todo mundo é bom e cão de guarda tem que ser desconfiado com estranhos.
Passear bastante com o cão. Diariamente, se possível. Assim ele ficará socializado, perdendo o medo de pessoas, outros animais, objetos, etc, não ficará estressado e o entrosamento cão / dono será cada vez melhor, pela liderança adquirida. Quanto menor o espaço disponível p/ o cão viver, maiores deverão ser o número de passeios na rua e sua carga horária.

A alimentação do cão deverá ser de boa qualidade. Uma boa dica para escolher uma ração é pelo preço. Normalmente as melhores são as mais caras.
Tem que ser ração pois só ela tem todas as propriedades que o cão necessita. Principalmente até 1,5 anos quando está em crescimento deve-se dar uma ração muito boa.
Se possível deixar o cão com acesso na garagem da frente da casa pelo menos uma parte do dia.
Distraindo-se com o movimento da rua, vendo carros, gente e animais, seu cão ficará mais equilibrado, não entrará em “stress”, tenderá a ser mais calmo.
Dê bastante carinho ao seu cão. Isso tende a deixá-lo equilibrado, autoconfiante e com ciúmes sadio dos donos, podendo vir a defende-los em caso de necessidade.

É totalmente errada a crença de que um cão de guarda tem que ser maltratado, ficar preso em corrente, passar fome/sede, sem ver gente para ficar bravo.
Um cão desses ficará neurótico / revoltado / nervoso e poderá atacar o próprio dono.

Controlar o peso do cão. Cães obesos ficam indolentes, preguiçosos, lentos e fracos para lutar, prejudicando sua atuação para guarda.
Cães muito magros (doentes, com vermes, subnutridos comendo pouca ração ou de qualidade inferior) também não desempenharão corretamente seu papel de guarda.
O ideal é analisar o cão pela cintura. Entre a lateral dele e as costas traseiras tem que haver uma depressão. Se for exagerada e estiverem aparecendo as costelas, seu cão está magro. Se ele estiver sem cintura, está gordo. Diminuindo ou aumentando progressivamente a ração até que ele readquira a forma ideal é a melhor maneira de controlar o peso de um cão. E conseqüentemente sua saúde e disposição. Por isso, é importante saber que ele não está doente.

Incentive-o sempre quando demonstrar agressividade justificada. Uma campainha que toca, um estranho que encosta no seu portão ou fica próximo dele, pessoas estranhas que entrem na sua casa, gritarias ou correrias na sua frente à sua casa, estouros de bombas, barulhos fortes na rua, etc, são boas oportunidades de incentivar o seu cão quando ele latir.
Nunca grite com ele nessas ocasiões para não cortar sua agressividade.

Quanto maior o número de cães convivendo juntos, mais segurança, confiança e coragem eles terão p/ defender seu território e os donos.

Um bom adestrador de obediência seguido de treinamento de defesa/ataque é fundamental para que se tenha certeza que o cão realmente fará sua parte na guarda, que não desafiará os donos e que os mesmos terão grande obediência e liderança sobre o mesmo.

Deve ser um atleta. Fazer exercícios através de brincadeiras jogando objetos p/ ele ir buscar (ou outras), correr com ele, deve ter espaço para correr em casa, ter mais de um cão (nas brincadeiras ele se exercitam), etc…

Desde pequeno brincar de lutar com seu cão ou brincadeiras/atitudes que exijam reflexos do mesmo. Ex.: jogar petiscos p/ ele pegar no ar.

Cada um tem seu percentual de influência e a genética é muito forte, como também a criação. Agora os defensores de pitbull e dobermans entram em contradição. Se eles dizem que criação é tudo e genética é menor então porque eles dizem que o pitbull é a raça preferida deles se tudo é criação e todo cão seria igual? Porque então eles não colocam um labrador e treina ele para rinha ou para guarda e qualquer coisa que queira e deixa de criar estas raças assassinas? E se o pitbull dá tanto amor assim ao dono então isto é da raça que vem da genética então para a agressividade do cão é criação agora para o apego do cão com o dono ou outra qualidade que estes homens dizem é genético? Tá vendo a contradição.

Eu já tive vários cães e por isso afirmo que a genética é importantíssima para definir o comportamento de um cão.
No momento tenho duas fêmeas adultas na minha casa,uma Cocker e um Pastora Belga Malinois.
Acredito que não incentivei a agressividade em nenhuma delas. Se você pular o portão da minha casa,poderá pegar a Cocker no colo e rouba-la,mas se tentar pular o portão da minha casa quando a Malinois estiver no local, provavelmente a pessoa que tentar fazer isso será morta por ela antes de tocar o chão do meu quintal.
Os ancestrais da Cocker eram todos cães dóceis e usados apenas como cães de companhia,já os ancestrais da Malinois eram todos cães policias,militares e usados como cães de guarda em penitenciarias por exemplo.
Eu tenho plena certeza que a enorme diferença de atitude dos meus cães se deve a sua carga genética e não a educação que eu dei a eles.

Todos os fatores contribuem.
Nunca vi, mas se um Pit Bul nascer e for criado na rua, sofrendo diversos mal tratos, a tendencia, é ele ficar recatado com medo…

Mas agora é inquestionável dizer que o Pit Bul não tem uma genetica que tende para a agressividade, porque não tem jeito, é o instinto do bicho…

Se um dia uma pessoa chega e ele toma um susto, vai partir para cima, e sem piedade… E isso é com qualquer cachorro, a diferença que ele não é fácil parar, e ou se defender…
Gente já teve vez que minha cachorra, vira-lata desde que tinha um mes comigo, uma vez vestido de palhaço para um trabalho infantil, ela me estranhou e latiu para mim, só que reconheceu minha voz, e meu cheio, agora se fosse um pitbul, não sei se teria chance de falar antes sem tomar pelo menos uma bocada…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *