Categorias
Gatos

como treinar meu gato?

quero treina meu gato ele tem 4 meses! quero treina varios tipos de coisas!
treinar tipooo acustuma nao faze xixi em sacola !tipo ele nao fica saiindoo de kasa( meu gato e preto e tenho vizinhos de religioes que odeiam gato preto)

10 respostas em “como treinar meu gato?”

Os gatos são animais espertos, fugidios e provocadores, deixando os donos à beira de um ataque de nervos sempre que estes tentam impor alguma disciplina. Mas a verdade é que os gatos podem ser treinados com recurso a uma técnica muito utilizada nos cães: o reforço positivo.
Ao contrário dos cães que são animais gregários e naturalmente dispostos a obedecer a um membro hierarquicamente superior, os gatos são animais solitários que só obedecem ao seu instinto, evitando ou atacando aqueles que os confrontam na natureza.
Por isso, para treinar um gato é necessário fazer com o seu instinto esteja de acordo com a nossa vontade e a única forma de o conseguir é utilizar recompensas irresistíveis. As punições resultam muito mal com gatos, sobretudo se eles associarem a punição ao dono. Tal como fariam na natureza, os gatos aprendem a evitar o dono ou a responder agressivamente, mas não alteram o seu comportamento.
Os gatos são animais espertos, fugidios e provocadores, deixando os donos à beira de um ataque de nervos sempre que estes tentam impor alguma disciplina. Mas a verdade é que os gatos podem ser treinados com recurso a uma técnica muito utilizada nos cães: o reforço positivo.
Ao contrário dos cães que são animais gregários e naturalmente dispostos a obedecer a um membro hierarquicamente superior, os gatos são animais solitários que só obedecem ao seu instinto, evitando ou atacando aqueles que os confrontam na natureza.
Por isso, para treinar um gato é necessário fazer com o seu instinto esteja de acordo com a nossa vontade e a única forma de o conseguir é utilizar recompensas irresistíveis. As punições resultam muito mal com gatos, sobretudo se eles associarem a punição ao dono. Tal como fariam na natureza, os gatos aprendem a evitar o dono ou a responder agressivamente, mas não alteram o seu comportamento.
Treino
Os cães aprendem a sentar ao comando em 2 dias, enquanto os gatos demoram 2 semanas. Mas os gatos aprendem a fazer as necessidades no sitio indicado em 2 dias, enquanto os cães demoram 2 semanas. Aqui estão bem patentes as diferenças entre os dois animais. O gato tem mais apetência para aprender alguns comportamentos e o cão está mais pre-disposto a aprender outros.
Assim, é possível ensinar um gato a sentar, deitar e dar a patinhas, mas isso pouco se adequa à natureza do gato ou àquilo que é necessário para conviver com ele. Da mesma forma que ensinar o cão a arranhar um poste ou a não saltar para o balcão da cozinha é algo desadequado.
Por isso, para começar a treinar o gato, opte por comandos realistas com utilidade prática no quotidiano. A partir do momento que o gato percebe como funciona o treino é mais fácil então ensinar outros comandos que deseje.

Treino Básico

Não é difícil treinar um gato, basta recompensá-lo cada vez que ele age correctamente.
Devido à capacidade de se esconderem em sítios impossíveis, é importante que o gato venha quando é chamado pelo dono. Para isso, chame o gato incessantemente até que ele venha, assim que ele vier, recompense-o. Uma boa prática neste sentido é antes de dar a comida ao gato, chamá-lo pelo nome.
Apesar de ser instintivo para o gato procurar um local asseado, com substrato para poder enterrar as necessidades, por vezes é necessário ensinar o gato a usar a caixa de areia. Para os gatos mais reticentes em relação ao uso da caixa de areia, comece a alimentá-lo em horários regulares e não deixe comida à disposição. O facto de não terem comida à disposição torna os gatos mais predispostos a aceitar recompensas. Para além disso, ter horários regulares faz com o gato faça as suas necessidades a “horas certas”. Sabendo a que horas o gato vai fazer as necessidades, alguns minutos antes, feche-se com ele na divisão onde está a caixa de areia. Se o gato não tiver tapetes, sofás, etc, vai optar pela superfície que mais o agrada, isto é, a caixa de areia. Recompense-o sempre que ele o fizer.
Outra queixa comum entre os donos dos gatos é evitar que ele arranhe os sofás e a mobília. Para isso, dê-lhe alternativas, como um poste de tamanho adequado e recompense-o cada vez que ele o utilizar. Pode também deixar pequenas recompensas no cimo do poste para o gato as ir buscar quando o utilizar.
Estímulos negativos
Se as recompensas não estiverem a resultar e necessitar de estímulos negativos para complementar o treino, lembre-se que o gato não pode associar esses estímulos ao dono. Assim, utilize coisas desagradáveis para o gato, por exemplo, folhas alumínio junto da mobília, em cima do balcão da cozinha ou junto a plantas.
Mas estas medidas não funcionam por si sós. Necessita de recompensar o gato sempre que ele utiliza o poste dele, come a planta dele ou utiliza o brinquedo dele.

Gatos também aprendem a obedecer a comandos e a efetuar truques – basta saber ensiná-los. Com os treinos, o dono pode entender melhor o felino e passar por momentos de interação, agradáveis para ambos. Não se preocupe: nenhum gato treinado vira robô. Ele simplesmente aprende a conseguir o que quer por meio de comportamentos específicos

Reforços positivos
Pode-se ensinar praticamente qualquer coisa ao gato. Basta seguir a lógica dos truques descritos neste artigo. O ensino é feito com a ajuda de reforço positivo, ou seja, de qualquer coisa que o gato aprecie ou deseje, como carinho, uma porta aberta ou brincadeiras – mas nada é melhor do que premiá-lo com um petisco que adore!

Sentar
Segure o petisco acima da cabeça do gato, sem deixá-lo pegar. Simplesmente espere que ele se sente ou, se preferir, tente induzi-lo a sentar-se. Para tanto, movimente o petisco próximo à cabeça dele, estimulando-o a andar para trás: alguns gatos se sentam nessa situação.
Quando ele sentar, recompense-o no mesmo segundo com o petisco. Dê um pedaço pequeno, assim ele não demorará nem para comer nem para prosseguir praticando. E terá ainda mais disposição para treinar antes de ficar satisfeito.

Quando o gato perceber que ganha petisco cada vez que senta, sempre que desejar petisco sentará rapidamente. Se você quiser associar o treino a um comando gestual ou verbal, como “senta”, introduza-o segundos antes de o gato sentar e dê a recompensa enquanto ele senta.

Dar a pata
Com um petisco em cada mão, chegue bem perto do gato. Estenda uma delas num gesto de convite para receber a pata, o que passará a funcionar como comando gestual. Naquela mão estará um petisco à mostra. Caso o gato tente pegá-lo com a boca, afaste a mão e não o entregue. A tendência natural e desejada é que ele o pegue com a pata. Sempre que isso acontecer, recompense-o com o petisco da outra mão. Fique atento: ao tentar pegar a recompensa, alguns gatos podem machucar a mão do treinador com as unhas. Depois que o felino perceber que, ao pôr a pata sobre a sua mão, ganha recompensa, passará a dar a pata mesmo que na mão estendida não haja petisco.

Ficar
É relativamente fácil ensinar este comando. Principalmente para um gato preguiçoso. Afinal, ele aprenderá que, depois de ouvir “fica”, ganhará um petisco sem fazer nada além de aguardar que a pessoa volte e lhe traga a guloseima!

A maneira mais fácil de começar é pelo comando “senta”, que já deverá estar aprendido. Comande “senta” e recompense o gato assim que obedecer. Aumente aos poucos o tempo entre sentar e ganhar recompensa. Sempre que o gato se levantar, induza-o a sentar novamente e não dê o petisco. Aos poucos, ele perceberá que só ganha prêmio se permanecer sentado, o que fará por períodos cada vez maiores. Comece então a dizer “fica” e, ao mesmo tempo, faça o sinal “pára” com uma das mãos. Alguns segundos depois, dê a recompensa. Gradativamente, afaste-se mais antes de recompensá-lo.

Vir
Facílimo de ensinar, este comando é aprendido em apenas alguns dias por qualquer gato interessado em petiscos. Chame o gato com um assobio ou palavra exclusiva, usada só para esse fim. No começo, quando ele não atender, mostre o petisco até ele compreender que será premiado. Espere e, quando o gato chegar, dê o petisco. Nunca o chame sem recompensá-lo, caso contrário, com o tempo, ele parará de vir. Esse comando é especialmente útil para achar o gato que fugiu ou que está num lugar perigoso, como atrás da máquina de secar.

Entrar na caixa de transporte
Também bastante útil, este treino faz o gato associar a caixa de transporte a coisas agradáveis, em vez de unicamente a procedimentos desagradáveis, como ir ao veterinário tomar vacina. Dê alguns tapinhas em cima da caixa de transporte para chamar a atenção do gato e jogue um petisco dentro dela. Deixe-o entrar e comer. Com o tempo, bastará dar os tapinhas na caixa para o gato entrar correndo, interessado na recompensa, que poderá estar no interior da caixa ou ser dada assim que ele entrar.

Miar sob comando
Pense nisso: o gato vai usar todos os truques aprendidos quando quiser ganhar petisco, inclusive miar! Se assim mesmo você quiser ensiná-lo a miar sob comando, espere um miado e, nesse momento, dê o petisco. Repita algumas vezes. Depois, passe a dizer “mia” alguns segundos antes de mostrar o petisco.

Muitos proprietários, ao atender miados no dia-a-dia, acabam, sem querer, incentivando o gato a miar. Saber adestrar permite também influir naquilo que o gato deverá aprender ou não, de acordo com a conveniência!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *