Categorias
Cavalos

A minha égua facturou a pata :(?

Gente minha égua facturou a pata saltando, eu chamei o vet e ela agra ta passando mal. terá chances de viver???
Ela facturou a pata saltando, ai eu chamei o vet. e ele tratou dela, agra ela costuma vir ca ve-la,mas me me disseram ke o melhor era abate-la pke ela iria sofrer. Só ke eu não kero isso.

Será ke ela tem hipóteses de viver?

3 respostas em “A minha égua facturou a pata :(?”

Pode viver sim, mas em alguns casos não, porque dificilmente você consegue salvar a vida de um cavalo apenas amputando a perna quebrada. Os cavalos não são como os cachorros, que conseguem ter uma vida razoavelmente ativa com três patas. Eles são mais pesados e esse peso pode causar problemas para os outros cascos. Infelizmente, poucos cavalos conseguem adaptar-se a próteses. Os cavalos devem gozar de boa saúde geral, ser capazes de se adaptar a novas situações e ter um dono que esteja disposto a gastar seu tempo e dinheiro nos tratamentos para acompanhamento do processo de colocação de uma prótese.
tratamento de uma perna quebrada pode apresentar muitas complicações. Aqui vão exemplos de alguns problemas que podem afetar a recuperação:

Peso: os cavalos, em geral, são animais pesados e suas pernas e cascos, pequenos, em comparação com o seu peso total. O apoio de uma perna quebrada normalmente força as pernas saudáveis a suportarem mais peso do que deveriam e isso – somado a outros fatores – pode aumentar as chances de desenvolvimento de problemas incapacitantes, como laminite e abscessos [fonte: Moore]. A causa exata da laminite (uma doença inflamatória do material que liga o casco ao osso da perna, que pode levar ao seu descolamento) é desconhecida, mas a dor causada por ela aumenta muito a probabilidade de eutanásia. As faixas que são colocadas sob o abdômen e que mantêm o cavalo erguido (tirando o peso das pernas) são geralmente usadas por curtos períodos de tempo, mas não conseguem prevenir a laminite. As faixas podem ser desconfortáveis, causar excesso de pressão localizada e levar a sérios problemas gastrointestinais. Se a faixa é usada por muito tempo, a perna curada não consegue suportar o peso do cavalo devidamente e a laminite ainda pode ocorrer. O peso de um cavalo deve ser igualmente distribuído nas quatro pernas.
Movimento: os cavalos são animais que gostam de se movimentar e há um grande risco de se machucarem novamente em algum momento durante o processo de cicatrização. Um cavalo mais tranqüilo, que não se importa em ter os movimentos limitados, geralmente tem mais chance de se curar adequadamente.
Infecção: as fraturas expostas normalmente se complicam por conta de infecções, que podem ser mais graves, dependendo do local onde ocorrem. Como os cavalos não têm músculos abaixo das articulações do jarrete (semelhante ao tornozelo humano), não há muitos vasos sangüíneos para conduzir anticorpos ao local da infecção, dificultando assim o tratamento. Esse fato também dificulta a administração de antibióticos (em inglês). Dar ao animal quantidade suficiente de antibiótico para ser eficaz, pode matar os microorganismos intestinais naturais do cavalo e influenciar a ação de importantes analgésicos.
Dor: o controle da dor é uma faca de dois gumes quando se trata de cavalos. Ela certamente precisa ser tratada, mas corre-se o risco de medicar o cavalo em excesso. Se o animal não sentir dor alguma, há uma grande chance de lesionar novamente a perna. A gravidade da dor das complicações pós-operatórias comuns, como a laminite, é a base da decisão para a eutanásia.
Custo: o longo e complicado processo de tratamento do cavalo pode ser caro e não ter garantia de que funcionará. Além do custo elevado, a reabilitação pode ser comprometida pela falta de instalações disponíveis que possam tratar cavalos com lesões graves e pela falta geral de conhecimento.

Espero ter ajudadoe que sua égua viva muitos mais anos na sua companhia! Bjs

Existe uma coisa chamada reconsulta! Ligue para o veterinário e descreva a situação da égua, fale que você está com dúvidas sobre a saúde dela e peça para ele fazer uma reconsulta.

Se o veterinário tiver boa índole tudo correrá bem no relacionamento cliente/veterinário.

Pode ser que o que a sua égua está passando não seja relacionado com a medicação ou com os procedimentos que o veterinário tomou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *